Navegação – Mapa do site

Apresentação

A revista Cadernos de Estudos Africanos é uma publicação do Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL) do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) especializada em temáticas africanas. Aberta à comunidade científica internacional que trabalha nas áreas das Ciências Sociais e Humanas sobre este continente, apostando na internacionalização, na inter e multidisciplinaridade, publica artigos originais em quatro línguas (português, inglês, espanhol e francês). Os artigos são seleccionados pela Comissão Editorial e através de um rigoroso sistema de arbitragem por pares em regime de anonimato. A revista Cadernos de Estudos Africanos tem tido desde o seu primeiro número, datado de Julho de 2001, uma publicação regular e semestral.
 

Último número online
28 | 2014
Varia e Dossier "Multinational enterprises in Africa: Corporate governance, social responsibility and risk management"

Sob a direcção de Ana Bénard da Costa

Este número dos Cadernos de Estudos Africanos divide-se em duas partes. Na primeira parte apresentamos um conjunto de três artigos que têm como elemento comum a análise de temáticas essencialmente de cariz político ou militar. A segunda parte estrutura-se em torno do dossier “Multinational enterprises in Africa: Corporate governance, social responsibility and risk management”.
Contrariamente à diversidade temática que caracterizou o número anterior dos Cadernos de Estudos Africanos, neste número podemos encontrar, para além do enfoque na mesma problemática que necessariamente une os artigos reunidos em Dossier, alguns paralelismos temáticos e geográficos nos artigos que apresentamos. Em seis artigos temos dois artigos que se debruçam sobre a Nigéria e dois artigos que focam sobre a participação de atores não estritamente políticos nos governos de estados chefiados por líderes de partidos políticos. Contrariamente também a números anteriores, temos apenas um artigo centrado num país dos PALOP, e apenas um dos artigos é de um autor português. O facto de podermos diversificar e, por outro lado, congregar temáticas em números alternados e de a Revista estar a acolher um número crescente de autores de diversas nacionalidades e continentes que trabalham sobre problemáticas africanistas sob diferentes perspetivas, constituiu para todos os que trabalham e colaboram com esta Revista um motivo de grande satisfação. Tal demonstra ainda que os esforços realizados em prol da divulgação da Revista e da sua inserção em diferentes bases de dados estão a ter resultados concretos.